domingo, 27 de novembro de 2011

18. O que é ser Shodan?

Ah! A primeira faixa preta![1]

Este é um assunto bastante engraçado, quero dizer, a falta de compreensão a respeito do mesmo no mundo do Karatedô faz com que este assunto assuma proporções inimagináveis.

Fábulas, contos, misticismos sobre atingir a tão cobiçada faixa estão amplamente difundidos pelos quatro cantos do planeta. 

Coloca-se, pois, a seguinte questão: será que a primeira faixa preta merece tal atenção?

Na realidade, não! 

Mas até chegar a esta conclusão, é necessário "entender" o assunto antes de difundir disparates. 

Em primeiro lugar, vamos entender o que significa a palavra Shodan 初段.

Para os instrutores de Karate ocidentais, não para "todos", mas para aproximadamente 99,99% destes, a primeira faixa preta representa um "ritual de passagem" de um aprendiz com faixa colorida para o mundo dos "senseis" (coloquei "s" no final da palavra propositadamente - sabendo que palavras japonesas não têm plural) !

[Essa história de qualquer um que obtenha uma faixa preta ser "automaticamente" instrutor também é um outro assunto que deveria ser amplamente debatido. Mas não vai ser neste artigo.]

Este "ritual de passagem" exige ao 1º Kyû que este saiba tudo (ou quase tudo) a respeito da parte técnica da arte que pratica, analisada quase à perfeição. [Atenção às palavras "parte técnica", pois a "parte teórica" nunca é verificada com o mesmo grau de exigência... por que será?] Após um exame "tecnicamente" exaustivo o novo faixa preta é admitido no mundo dos "senseis".

Isso tudo seria válido se correspondesse à realidade do ensino do Karate. Mas não é.

A palavra japonesa "Shodan 初段" significa literalmente "Nivel inicial", onde:

初 SHO - Início, principio.
段 DAN - Nível.

Não precisa ser nenhum gênio para concluir que a tradução aponta para o que deve ser tal graduação. "Shodan 初段" significa "Nível inicial" e não "1º Dan".

O que significa, então, "nível inicial"?

Significa que o praticante está apto para começar no estilo de Karatedô que escolheu.

Mas o que significa "estar apto" em se tratando de Karate?

"Estar apto" - neste caso - significa que detém os conhecimentos elementares que o habilitam a começar numa prática continuada do estilo de Karate que escolheu.

É justamente isso que os ocidentais não são capazes de entender, isto é, "começar" no Karate vindo de um período preparatório (fase de faixas coloridas) é um processo gradual contínuo e não um "ritual de passagem". O 1º Kyû é reconhecido como tendo os conhecimentos BÁSICOS necessários para "iniciar a sua prática". Por isso que a primeira faixa preta chama-se "Nível inicial". 

No Japão, a primeira faixa preta não têm esse grau de importância que podemos ver no ocidente, por outro lado, as seguintes graduações de Dan japoneses são cada vez mais exigentes - sem exceção! O exame para 2º Dan é muito exigente, o exame para 3º Dan é muitíssimo exigente e assim por diante. 

Esta diferença de importância da faixa preta faz com que se veja "um início como um fim", isto é, quando na realidade a primeira faixa preta deveria ser vista como um "início do Karate como arte marcial (Shodan)", passa a ser "um fim a ser atingido (1º Dan)". 
Notaram a diferença entre "Shodan" e "1º Dan"? Enquanto que Shodan é um "início", "1º Dan" é um fim.

A primeira faixa preta tem a mesma importãncia que a faixa castanha (marrom), tem a mesma importãncia que a faixa azul, tem a mesma importancia que... ... ... (nota: a colocação de reticências repetidas está ortograficamente errada, mas servem ao meu propósito de mostrar que ela é tão importante quanto qualquer outra faixa que o praticante atingiu anteriormente - porque todas as faixas que o praticante conseguiu ao longo da sua vida de treino marcial são a sua própria expressão em "Karate" - desde o primeiro dia que pisou dentro de um Dôjô)  porque as graduações como evolução radual são algo natural.

Assim sendo, é necessário que todos os instrutores entendam verdadeiramente os conceitos mais elementares do Karate - neste caso, o que significa o termo Shodan - e que tenham sempre em mente que o Karate, como a própria vida, segue o seu curso natural.  As passagens do primeiro dia de vida, para fase de bebê, para fase adolescente, para fase adulta, para fase idosa e, por fim, para morte seguem o curso natural. Da mesma forma, as fases de Mudansha para Yûdansha seguem o mesmo curso natural. 

Portanto, esse "ritual de transformação daqueles que não sabiam nada para o mundo dos senseis" é um processo irracional. 

"Mas o meu mestre disse que..." alguns podem agora estar a argumentar.

O cérebro não serve apenas para separar as orelhas! Ele também é usado para uma atividade muito interessante: PENSAR!

----------------------------------------------------------------------------------------
[1] Permitam-me uma rápida consideração a respeito de cinto ou faixa
Aqui em Portugal, ao segmento de tecido utilizado para fechar o Karatedô-gi chama-se "cinto". No Brasil chama-se "faixa". Usando um raciocínio bastante lógico, "cinto" serve para segurar as calças - o que não é o caso do segmento em questão, pois as "calças" do Karatedô-gi, conhecidas por Shitabaki possuem um cordão para este fim, chamado SHITABAKI NO HIMO 下履の紐Por outro lado, as roupas tradicionais japonesas eram fechadas com uma faixa. Assim, acho que faz mais sentido usar o termo faixa do que usar o termo cinto e, por isso, a partir de agora passo a referir-me a esta peça do karatedô-gi como "faixa", mesmo que em Portugal o termo seja "cinto".

2 comentários:

  1. Comentário único:

    Belo e sublime!

    Aprendamos com quem sabe...

    Domo arigato gozaimashita Joseverson San!

    ResponderExcluir
  2. Perfeita explicação, de acordo com o que meu mestre falava...

    ResponderExcluir